BPA: Relatório Estatístico Março 2018

Responder
Avatar do Utilizador
Jorge Feitos
Mensagens: 332
Registado: 01 jun 2017, 17:35

BPA: Relatório Estatístico Março 2018

Mensagem por Jorge Feitos » 05 abr 2018, 11:54

Imagem
Governadoria

RELATÓRIO ESTATÍSTICO
MÊS DE MARÇO DE 2018


A Governadoria do BPA tem o prazer de divulgar alguns dados estatísticos relativamente ao mês transato, de forma a permitir uma monitorização dos volumes transferidos, tentando assim uma avaliação da prestação económica portuguesa-algarvia.

A) VALORES DAS CONTAS NO BPA
Soma dos saldos de contas: 179,352$500
Média dos saldos das contas: 1,908$100

Número de contas: 94 (8 contas apresentam saldo zero (-12, desde Fev18)
N.º contas (pessoas individuais/físicas): 44 (-1, Fev18)
N.º contas (pessoas coletivas/jurídicas): 35 (-8, Fev18)
N.º contas (pessoas coletivas de direito público): 15 (-4, Fev18)
Valor Cativo ao Tesouro Real (que não está em circulação regular): 80,647$500 (-11,562$500, Fev18)

Observação: A Secretaria de Estado do Despacho tem vindo a trabalhar para a limpeza de contas no BPA, assim como a dissolução de empresas inativas ou sem responsável social ativo. Desde o mês anterior, possibilitou-se a redução de 12 contas que não tinham qualquer saldo.

B) VOLUME FINANCEIRO MENSAL
Volume total de transações: 16,689$500 (+10,690$500, face a Fev18)
Número de transações - 41(+25, Fev18)
Volume médio por transação – 407$061 (+32$000, Fev18)

C) DISTRIBUIÇÃO ENTRE OS SECTORES PÚBLICO E PRIVADO
Relativamente à origem das transferências, a divisão entre os sectores Público e Privado é esmagadora, a favor do segundo, invertendo totalmente a tendência do mês de Fevereiro:

DESPESAS
Sector Público – 12,042$500 (72,15 %) | Sector Privado - 6647$000 (27,85 %)

RECEITAS
Sector Público - 2585$000 (15,49 % ) | Sector Privado – 14,104$500 (84,51 %)

D) CONCLUSÕES

O governo pagou os ordenados de Janeiro e Fevereiro, cumprindo assim a necessidade de capitalização dos atuais cidadãos. Ao mesmo tempo, a Consortium/OdP pagou dividendos aos seus accionistas pela terceira vez na sua história. Estes dois acontecimentos representaram 88% de todo o dinheiro transferido no mês.

Com estes pagamentos, nomeadamente os ordenados da função pública, o Público passa a ser o setor que mais gasta, ocupando 3/4 de todas as despesas.

Adicionalmente, 14,104 réis deram entrada no setor privado, permitindo a normalização da situação económica dos atuais cidadãos, muitos dos quais não tinham beneficiado ainda do pagamento de ordenados. Isto teve alguma influência nos movimentos dentro do setor privado, nomeadamente com a compra de edifícios no mapas habitacional de Lisboa, cuja indústria terá feito mexer cerca de 2,300$000.

Redator do Relatório: D. Jorge de Bragança e Feitos (Governador)
Lisboa, 5.3.2018
***
Jorge Filipe Guerreiro de Bragança e Feitos

General, Real Exército
Mordomo Mor da Casa Real
Condestável do Reino
Governador do Banco de Portugal e Algarves
Diretor do Grupo Consortium/OdP
Responder

Voltar para “Banco de Portugal e Algarves”

Quem está ligado:

Utilizadores neste fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante